Addio pt2

/
0 Comments
É irônico como baixei os CD’s das suas bandas favoritas, só para saber qual era aquela música que você cantava baixinho quando estava entediado.  Eu adorava quando você se dizia curioso sobre quem eu era, na época eu até achava bonitinho. Minha cegueira me impediu de ver que eram apenas jogos de conquista, você nunca se interessou por quem eu realmente sou.

Eu sempre ansiei para encontrar meu lugar no mundo, infelizmente você nunca me deixou participar do seu. Suas palavras foram só brisa macia trazendo a tempestade, afinal.

Me incomoda o fato como você sempre soube que secretamente eu olhava as fotos que você curtia, e assim no dia que você pretendia terminar, antes de me dizer qualquer coisa você curtiu as fotos dela. Então eu soube, eu só não quis acreditar e me rendi pela primeira vez ao otimismo. Só para acabar tendo certeza que ele não funciona.
Ela que era a mulher perfeita, que saiu dos seus sonhos. Até nos sorrisos dela você queria se encaixar, sinto muito, mas ela te deixou e despedaçou seu coração, a mulher dos seus sonhos também foi a dos seus pesadelos. Lembro perfeitamente como me disse cabisbaixo que se tornara só cacos e que eu ajudei a juntar. Agora vejo que não valeu de nada o que fiz, pq para você nem o meu sentimento mais profundo fez diferença.
Dói perceber que amei sozinha, me abri com você e contei como meu coração era um mar de feridas e como tinha medo de relacionamentos e já estava tão machucada, que "nós" deveria ser uma má ideia. Mas você me abraçou olhou firmemente nos meus olhos e prometeu que seria a diferença que minha vida precisava.
Já tinha ouvido isso antes, mas mesmo assim inocentemente eu acreditei. Que tola eu fui, não? E de novo está aqui meu coração, bem mais ferido que antes. 

Aos seus presentes, dei-lhes lugar no fundo de uma gaveta, espero que funcione assim também o meu coração.  Poder colocar tudo que sinto lá no fundo, até esquecer-me do que senti. 


You may also like