Quinta-feira

/
0 Comments


Garoa, chuva, frio e cheiro de inverno.
Vontade de afagar os medos.
Temperatura de dependência de amparo.
Desejo de suicídio,
De homicídio:
 a todos os sentimentos
 não recíprocos,
 não levados adiante,
dessa vontade desvantajosa.

E me paro, para seguir em frente,
adiante, onde o medo
não surge, nem cresce, nem mente.
Apenas envelhece e morre,
morre de descaso,
morre de sufoco,
morre de carência.

Por falta de amor e antecedência.
Por falta de poesia,
Por falta de uma replica ou tréplica.
Por falta de uma memória.
Por falta de um futuro,
Mas quem sabe o agora já seja a história.


You may also like