E hoje já não aceito mais essas poesias lúcidas, pois o real já não é mais o bastante. Venha-me com suas insanidades, venha-me com sonhos e desejos sem procedentes. Venha-me com o inverso e o paralelo. Recuso-me a ler de agora em diante todo poema de amor dedicado na outrora de um entardecer. Recuso-me a viver romances de paixões apagadas. E por favor, aceite esse meu pedido e venha embriagar-se de loucura comigo.

Compartilhe

Sobre o Autor

ANDRESSA PONTES Jornalista e fotógrafa nas horas vagas.Neste blog posto pensamentos,frases e textos de autoria própria. Me siga nas redes sociais e curta o blog!